sábado, 7 de dezembro de 2013

A ESTROGENIZAÇÃO AMBIENTAL

A ESTROGENIZAÇÃO AMBIENTAL

    Antes de tudo, que são os estrógenos? Os estrógenos são os hormônios femininos, a substância oposta aos andrógenos. Como exemplos de estrógenos, temos compostos como o estradiol, a estrona, o estriol ou a progesterona – embora esta seja um progestágeno, outro tipo de hormônio feminino. Como exemplo de andrógenos ou hormônios masculinos temos a androsterona, a androstenediona, o androstenediol, o DHEA, a DHT (dihidrotestosterona) e a mais conhecida, a testostenona.


    No entanto, o que mais nos interessará a tratar aqui serão os xenoestrógenos.
    Estes compostos diferem dos arquiestrógenos (os estrógenos naturais, já mencionados) em que são sintéticos, e que são produtos artificiais (como o onipresente plástico, por colocar só um exemplo, clique
aqui
para ver um documentário sobre os prejuízos hormonais do plástico) introduzidos no mundo por empresas químicas, agrárias e industriais nos últimos 70 anos.
    Os xenoestrógenos se enquadram nos chamados Disruptores Endócrinos [1] (DE’s, também chamados “estafadores químicos”) substâncias artificiais que multiplicam-se pelo ambiente graças à contaminação e “imitam” os efeitos dos estrógenos naturais, atuando como potentes mensageiros hormonais e propiciando mudanças importantes em pessoas e animais (especialmente peixes e anfíbios [2]).

    Hoje em dia, graças à contaminação imperante, a estrogenização ambiental é altíssima. Encontramos estrogenização no recobrimento interior das latas e de garrafas, os aditivos na comida processada, o odor que deixa os materiais do interior de um carro, os ares-condicionados, as substâncias químicas deixadas na água, a infinita gama de plásticos que nos rodeia... se trata de uma verdadeira praga. Tanto é assim que incluso nas tribos terceiro-mundistas mais isoladas do mundo são encontrados claros efeitos de estrogenização, infiltrada através do ar e da água.




    A estas alturas do jogo, de verdade alguém crê que este lixo é uma simples moda, ou melhor, que é o efeito de uma sutil mas perigosa contaminação feminizante?

    Na Espanha, a população está mais estrogenizada quanto mais ao Sul e especialmente ao Leste, e menos estrogenizada quanto mais ao Oeste e especialmente ao Norte. [3] Qual é a causa disto? Em minha opinião, a maior industrialização, urbanização e densidade da população do Mediterrâneo, o qual inevitavelmente implica uma imensa contaminação desse mar e das zonas cercanas. Está claro que isto não implica necessariamente nada: Muitos catalães que levam uma vida saudável e uma alimentação correta sem dúvida estarão melhor de fertilidade que os galegos que maltratam seu corpo com substâncias nocivas.

    O caso é que, juntos, temos uma série de fatores (tanto químicos como espirituais) que fazem com que em nosso mundo moderno, a balança “yin-yang” (que deveria ser de 50-50), se equilibre claramente a favor do yin, produzindo todo tipo de abominações, enfermidades, neuroses e impudência. E é que, por mais que alguns sigam gritando incansavelmente com a vigência do espirito e a não-vigência do corpo, o cientificamente certo é que os hormônios são os mensageiros biológicos mais potentes que existem, e que inclusive quantidades minúsculas condicionam nossos atos em grandíssima medida. Não se esqueça que o que diferencia a homens e mulheres (que de modo algum é pouco) tanto física como psicológicamente, se deve, em primeira instância, ao predomínio de andrógenos ou estrógenos. Não se pode, portanto, viver em um ambiente altamente estrogenizado como o nosso sem pagar as conseqüências.


    Quando o homem era puro e o homem caçador seguia as leis naturais, as coisas se pareciam mais ao signo da esquerda: existia um equilíbrio entre os pólos extremos, e essa tensão que mediava entre ambos proporcionava a "voltagem" de uma vida autêntica. Agora as coisas possuem um aspecto do signo da direita: um predomínio desmesurado do Yin. A voltagem foi sabotada e a energia interior dos seres humanos tornou-se fraca e insípida.

A ESTROGENIZAÇÃO ESPIRITUAL E PSICOLÓGICA

    É simbólico ao extremo que esta estrogenização química da qual padecemos venha muito em sintonía com a estrogenização espiritual e mental que sofre o mundo (particularmente a Civilização Ocidental), e da qual não é mais que a contrapartida material.

    A música está estrogenizada, temos um auge da mentalidade passiva, covarde, hippiesca e pacifista, vivemos em uma era de dramas sentimentalóides, palhaçadas, inseguranças pessoais, videoclips para pirralhos chatos, gente débil, mentes confusas, inseguridades e indecisões variadas, roupas coloridas, medo de dizer as coisas tal qual são, uma completa falta de força de vontade e, em suma, nossa sociedade está dominada por valores mui claramente femininos e mui claramente despojados de autoritarismo e de via direita - valores que constituirão a zombaria, a vergonha alheia e gargalhada clara da Humanidade de século vindouros.

    Todos os sintomas descritos não são coisa de homens nem tem absolutamente nada a ver com a mentalidade masculina normal, senão que procedem do mundo da merda mental das mulhers - ou melhor dito, de mulheres que não tem ao seu lado homens de verdade a quem podem respeitar (pais, irmãos, noivos ou maridos) e que por isso estão desequilibradas (o yin sem o yang não é nada, nem o yang sem o yin).

    Somos, sem lugar a dúvidas, e em grande parte graças à estrogenização, uma sociedade de pirralhas mimadas e de mariconas patéticas, incapazes de reagir ante um abuso nem de defender pela força bruta nossos interesses no mundo, mundo aliás, cada vez mais abrutecido. A Civilização Ocidental e a Raça Branca, depois de um processo que vem durando mais de dois milênios, lhes foi tirada a masculinidade e lhes castraram.



    Queres saber o que acontece quando se choca uma sociedade de senhoritas, pirralhas e mariconas pedantes com uma sociedade de homens jovens embrutecidos e analfabetos?... Se a virilidade não despertar em nossa civilização quando chegar o momento, nosso continente estará de pernas abertas ante todo o Terceiro Mundo.

    CONSEQÜENCIAS DA ESTROGENIZAÇÃO AMBIENTAL

Nesta seção me concentrarei nos efeitos que tem a estrogenização ambiental (tanto química como espiritual) sobre nossa sociedade, descrevendo uma série de sintomas que creio qualquer pessoa reconhecerá instantaneamente.

*Adiantamento da puberdade nas meninas.. Casos de primeiras menstruações aos nove, oito, siete e inclusive seis anos de idade (!). Seios anormalmente grandes, meninas sexualmente maduras, com corpo de mulher mas cérebro de menina, incapazes de controlar suas miasmas hormonais que logo cometerão erros dos quais acabam arrependendo-se com o tempo. É como dar a um menino de 10 anos o corpo de um homem de 23 anos - em uma palavra, equivale nem mais nem menos que ao retraso mental. Lacuna de idade nas relações de casais: um rapaz de 18 anos sexualmente imaturo não atrairá nem as de 14 anos, que buscarão homens muito maiores que elas.

*Adiantamento da idade de envelhecimento nas mulheres. Conseqüência do ponto anterior. Isto se deve a dois motivos: o adiantamento prematuro da adolescência, e a promiscuidade inevitavelmente associada a uma pessoa com uma idade mental de 12 anos e uma idade hormonal de 20 (como é sabido, a promiscuidade feminina faz com que as mulheres envelheçam, enquanto que está demonstrado que, a maior quantidade de pares tidos, maior a frustração psicológica e tendência à neurose), pela simples razão de que seus atos vão condicionados por um excesso hormonal que nem seu corpo nem sua maturidade mental estão preparados para assimilar ou canalizar como é devido.
A queima moral induzida por haver tido muitos pares a uma idade prematura é também causa de que, a partir de certas idades, depois de mil porcarias realizadas, as jovens modernas são incapazes de se apaixonar, havendo perdido a ilusão juvenil para o resto de seus dias. O fato de andar farreando desde uma idade precoce distancia as garotas de sua verdadeira missão natural e genética (preparas-se para a maternidade) e do esporte, com o qual, quando lhes chega a diminuição hormonal pós-adolescência, o efeito acumulado de anos de preguiça, indolência e vadiagem se deixam manifestar, geralmente na forma de obesidade e de outras formas de degradação física e mental.

*Atraso da chegada da menopausa. Isto pode induzir a ter filhos a mulheres que já não tenham corpo para parir, com o resultado de uma prole de menor qualidade genética, assim como defeitos de nascimento e abortos espontâneos.

*Atraso da puberdade nos homens. Vemos rapazes de 15 anos que a todos os efeitos ainda são meninos fisicamente. Inclusive caras de 18 anos que ainda não tenham tomado corpo de homem, nem largura de ombros, nem estreiteza de cintura, e que em troca, suspeitosamente, tiveram acumulado estranhas quantidades de gordura na cintura, traseiro e coxas... isso inclusive tendo em conta que as numerosas mensagens subliminares de sugestão sexual do Sistema tendem a retrogradar os garotos a uma idade mais precoce que o natural.
Se a isto adicionarmos a total falta de cultura esportiva que impera hoje, nos encontramos com uma geração de maricas. Por outro lado, existem já muitos estudos que demonstram que, desde que começa a puberdade, a maioria dos jovens modernos vai perdendo (graças à estrogenização, à contaminação ambiental e hábitos perniciosos) qualidade seminal, moblilidade de espermatozóides e, portanto, perda de fertilidade - Coisa que, levada ao extremo, produz esterilidade. Emancipar-se do círculo vicioso que a produz me parece uma necessidade de primeira ordem para qualquer um que considere a si mesmo um homem. Clique aqui para ver um artigo em inglês sobre a feminização dos meninos por culpa dos químicos estrogenizantes.


No Ocidente vivemos a era da virilidade, senhores. Repito: sociedade de senhoritas, pirralhas e mariconas. Me pergunto o que pensarão a respeito os de baixo.



*Incremento espetacular dos casos de câncer de mama. Um dos efeitos dos estrégenos é aumentar o tamanho das glândulas mamárias. Levando o seu extremo, isto acaba convertendo-se na multiplicação descontrolada de suas células - ou seja, em um tumor maligno. Também se tem adiantado incrivelmente a idade da enfermidade: estão aparecendo casos de mulheres que aos 20-30 anos já apresentam sintomas de câncer de mama.

*Feminização física e psicológica dos homens. Não se pode ter uma geração de homens que foram submetidos à uma forte influência química e espiritual feminizante sem pagar as conseqüencias: caras com os quadris mais largos que os ombros, chassis esqueléticos, cinturas largas, traseiros gordos e barrigas de grávida, sem contar no aumento dos casos de malformação genital, testículos mal colocados, ambigüidade sexual, micro pênis e, sobretudo, homens que não se sentem homens nem se identificam com o papel masculino. A diferença entre as mulheres estrogenizadas e os homens estrogenizados é que as primeiras são (em teoria) "mais mulheres" e estão mais fortemente sexuadas, enquanto que os segundos são "menos homens", e estão mais castrados. Com isto realmente está tudo dito.



Fabio Capello está mais estrogenizado que um tampão. Não se trata mais de treinar o corpo ou não, senão das formas aberrantes que adquiriu e a posturinha que se levam em contas.

*Irregularidade nas menstruações, incluso de garotas jovens que deveriam ser férteis.O equilíbrio hormonal feminino é sumamente delicado; uma mulher hormonalmente bem equilibrada, com boa alimentação e de boa saúde, deveria ter o período matematicamente a cada 28 dias, o qual é sinal de fertilidade e que o corpo funciona bem conforme aos ciclos da Lua. Hoje, com as diversas neuroses, merdas mentais, lixos psicológicos, uma dieta completamente suja e demente, uma vida patética e uma estrogenização generalizada, há poucas mulheres que podem predizer o dia exato em que lhes há de vir a regra, que lhes pode chegar aos 26 dias, ou aos 32, inclusive saltos mais bruscos que estes.

*Aumento sem precedentes da homossexualidade e das tendências femininas nos homens. Inclusive no caso de que não estejam diretamente "na outra calçada", muitos jovens tem comportamentos, formas de pensar e reações estranhas, mais próprias de mulheres que homens. Temos também uma importante proporção de homens jovens que, sem ser tampouco da borda frontal, estão sem dúvida demasiadamente em contato com seu "lado feminino" e não tem escrúpulos em "experimentar coisas novas" e mariconear de quando em quando. Se trata da indecisão e da falta de claridade interior que dá, entre outras coisas, a ter muito mais hormônio feminino do que é normal em um homem.

*Superproteção da mulher mediante medidas sociais exageradas. No passado, com nossas conquistas, nossas invenções, nossas lutas e nossos trabalhos e sacrifícios, nós homens contribuímos a criar um mundo tão rematadamente seguro e confortável para as mulheres, que em grande medida a sociedade esqueceu a procedência do conforto que desfruta. A feminização social se traduziu em hostilidade para com a masculinidade e uma desconfiança para com a sexualidade e agressividade masculinas, como se não fossem as forças primordiais que conquistaram o conforto que desfrutamos hoje.

*Aumento da promiscuidade feminina. Imaginemos um umndo androgenizado no lugar de estrogenizado. É inegável que isto afetaria de maneira muito forte a promiscuidade masculina. O mesmo está se passando hoje em dia com as mulheres jovens.

*Infertilidade em ambos os sexos, no caso das mulheres por romper o delicado equilíbrio hormonal e seus ciclos de ovulação (dando como resultado partos prematuros e outros problemas), e no caso dos homens por contrastar os efeitos andrógenos. Isto, que seria a tragédia de qualquer casal, se converte em uma incrível fonte de renda para as clínicas de fertilidade, e também suprime substanciosas rendas para o negócio da adoção e o impulso da mestiçagem por adotar crianças procedentes de países terceiro-mundistas. Mas, tenho boas notícias para os casais ou os indivíduos que crêem que são inférteis: na maioria dos casos, se trata de algo reversível mediante uma dieta decente e um estilo de vida mais saudável e natural. Se se põem as baterias, o normal é que recuperem a capacidade de perpetuar seus genes.

FORMAS DE EVITAR A ESTROGENIZAÇÃO

Apesar do dinheiro que dá a estrogenização (custos baratos para as fábricas, o negócio das clínicas de fertilidade e dos locais noturnos, a moda etc.) a certos parasitas, seria cruel por minha parte enumerar as origens da estrogenização e suas horríveis conseqüências sem dizer também como minimizar o impacto deste flagelo e como evitar que chegue a nossos filhos.

*Água pura sempre que se possa. Se alguém tem a oportunidade de ter acesso a água de poço, fontes naturais ou preferivelmente água de córregos de montanha a bastante altura, que não hesite de meter-la em um montão de recipientes de vidro e leva-la. A diferença se fará notar incrivelmente.

*Evitar a todo custo os alimentos processados e empacotados, especialmente artificialidades como cheetos, pringles e outros lixos plastificados. Mais abaixo temos uma lista dos alimentos mais estrogenizantes.

*Não beber refrescos carbonatados, fruto de processos industriais onde lhes metem açúcares de baixíssima qualidade além de todo tipo de conservantes, aromas e colorantes que convertem a estas bebidas literalmente em plástico (e, portanto, em estrógeno e demais lixo) líquido. Acabou-se a Coca-Cola, a Fanta, o Red Bull e tudo aquilo a que estávamos acostumados, senhores. Água, sumos naturais, chás e batidos, são o único que deveriam beber um ser humano (nem sequer álcool, especialmente no caso dos homens).

*Para as mulheres: evitar os tampões. As substâncias artificiais que contém (e não só estrógenos, senão outras questões cancerígenas) atravessam facilmente as finas camadas das paredes vaginais para acabar afetando a todo o organismo, e são uma das causas reconhecidas de câncer de útero. Utilizar compressas em lugar de tampões.

*Para nossos filhos: evitar os brinquedos de plástico, não só porque o estrógeno que eles deixam atravessa facilmente a pele, senão por causa da possibilidade que os metam na boca, aumentaria ainda mais sua absorção (sem falar do risco de asfixiamento). Ver esta notícia sobre as substâncias filos-hormonais desprendidas pelos plásticos.

*Para as mulheres (bis): os contraceptivos que vós tomais logo passam a vossa urina, dali às águas residuais e dali aos rios e ao mar, aumentando a estrogenização generalizada e nos estrogenando a todos. Assim que deixas de utilizar estas bobagens que também os fo*em completamente o equilíbrio hormonal convertendo-as em patéticas Ally McBeals física e hormonalmente destruídas aos 20 anos. Que vossos homens tirem de métodos mais naturais, como o controle de ejaculação de toda a vida.

*Evitar as embalagens de plástico de tereftalato de polietileno (o famoso PET), BPA, BPP, etc. A água e toda bebida, deve ser armazenada em embalagens de vidro. Ainda assim não evitaremos a contaminação já sofrida, mas ao menos evitaremos que a sua contaminação degenere ainda mais por culpa da gradual liberação das substâncias nocivas do plástico. Deve-se abdicar-se totalmente de beber água de torneira, recorrendo à água engarrafada, que não é perfeita mas sem dúvida é a "menos imperfeita".

*Evitar as drogas. Todas tem um efeito estrogênico mais ou menos pronunciado, especialmente no caso das drogas de design (pílulas variadas) e os derivados de cannabis (é bem sabido que fumar baseados acaba impondo atitudes afeminadas e passivas, reduz a contagem espermática e pode desembocar em infertilidade). A cocaína sempre ou quase sempre está "cortada" com substâncias químicas estrogênicas que os palhaços cheiradores metem em suas fossas nasais sem nenhum tipo de preocupação. O consumo habitual de drogas põe os indivíduos ao nível dos retardados mentais - um
drogado, um cocainômano ou um viciado em pílulas são, por pura definição, criaturas patéticas que mereciam ver posto um final na sua vida mediante a eutanásia, igual aos enfermos terminais.



O problema de tomar droga não é que seja pouco ético, ou pouco moral, ou que faça chorar ao menino Jesus... o problema de tomar drogas é que estás fodendo o corpo como um verdadeiro e autêntico pedaço de retardado - como por exemplo o índio Maradona.

*Evitar leite e produtos lácteos (além de vir estrogenizados, mais abaixo veremos mais razões).

*Evitar "dentro do possível" os medicamentos. Praticamente todos os medicamentos tem um forte componente pró-estogênico, de modo que, embora esteja claro que uma enfermidade necessita atenção,"mais vale prevenir que remediar", levando um estilo de vida saudável, uma dieta limpa e completa, etc. As pessoas que, por inaptidão para levar uma vida decente, se tomem xaropes, aspirinas, barbitúricos, antidepressivos etc., de vez em quando, acabarão lhes fazendo pagar à curto prazo com o desequilíbrio de seus corpos e de suas mentes.

*Fazer exercício aeróbico (correr, bicicleta, máquinas várias, etc.) ajuda a limpar todas as substâncias acumuladas excedentes de nosso corpo, não só gordura, senão também retenção de líquidos, toxinas e estrógenos, todos eles intimamente relacionados. Ideal manter o coração a 120-140 pulsações por minuto durante as seções cardiovasculares.

*Evitar o álcool, especialmente em doses altas. Um ambiente alcoolizado é um ambiente estrogenizado e, por conseguinte, feminizado. Está demonstrado (Gavaler et al., 1991; Ginsburg et al., 1995; Madigan et al., 1998; Muti et al., 1998) que as mulheres que consomem habitualmente álcool tem níveis estrogênicos mais altos que as abstêmicas. A cerveja, tão querida por tantos do nossos, contém produtos fito-estrogênicos (Torgerson et al., 1997) que já se foi demonstrado tendem a ativar o crescimento das mamas nos homens. Está também demonstrados que um consumo habitual de cerveja retrasa 2 anos a menopausa nas mulheres.

*Evitar "dentro do possível" os produtos cheio de aditivos, conservantes e corantes. Aqui incluo não só as bebidas carbonadas, senão todos esses alimentos empacotados que tanto abundam as prateleiras dos bares e postos de gasolina, e que tanto as pessoas comem enquanto vê a TV ou enquanto estão estirados no sofá seguindo o vôo das moscas.

*Para os homens: tomar algum suplemento de zinco (o famoso ZMA antes de dormir vai muito bem, especialmente junto com vitamina b6 + Tribulus), assim como azeite de linhaça (favorece o equilíbrio hormonal).

*Ingerir muita fibra. A fibra tende a unir-se à gordura, absorver retenção de líquidos como uma esponja e "arrastar" tudo isso para fora do tubo digestivo, além de favorecer a eliminação do excesso de estrógeno, limpar e exercitar o sistema digestivo, etc. São recomendadas fibras de produtos vegetais, e não abusar dos cereais, que tem uma longa lista de prejuízos.

*Favorecer os estímulos que tendem a solidificar a agressividade e o instinto de território. Música dura ao invés de música sentimental (esta deixaremos para um mundo que seja 50% de testosterona e 50% de estrógeno, e não 20% de testosterona e 80% de estrógeno como agora), exercício físico violento, pensamentos determinados, atitude interior determinada e uma ideologia sólida.
Sinto por ser extremista, mas já se sabe que só um extremo pode anular a outro extremo para voltar ao ponto médio. A grandes males, grandes remédios (um pouco de sangue quente entre tanta merda seca):


ALIMENTOS QUE COMBATEM A ESTROGENIZAÇÃO

*Vegetais crucíferos (brócoles, couve-flor, repolho, couve). Notável o repolho roxo, muito recomendado pela medicina tradicional chinesa.

*Frutas cítricas (laranjas, tangerinas, limões).

*Mel puro.

*Camomila e a flor de maracujá (também presente no chá).

*Cebola e alho, notabilíssimos os potentes efeitos limpadores e desintoxintes do alho, um alimento altíssimamente recomendável, ao menos um dente ao dia.

*Chá verde, outro alimento notável por suas qualidades benéficas.

*Folhas verdes, como o espinafre ou a alface.

*Frutos vermelhos, como a framboesas, amoras, morangos, mirtilos, bagas de Goji, mirtilos, amoras e, em geral, os frutos do bosque.

*Azeite de Oliva extra virgem. Sem fritura.

*Pescados selvagens graxos, como o salmão, a truta, o marrajo, o tubarão, etc.

*Frutos secos e sementes, por exemplo, nozes, amêndoas, castanhas e sementes de abóbora, notáveis estas últimas por seus efeitos benéficos sobre a próstata.

*Algumas especiarias, como cúrcuma, curry, orégano, tomilho, gengibre, alecrim e sálvia.

ALIMENTOS RICOS EM PRÓ-ESTRÓGENOS (A EVITAR)

Aqui veremos o tipo de produtos que temos que evitar se é que nos interessa reduzir ao mínimo esta antinatural e aberrante feminização que o Sistema força sobre a maior
parte da população.

*Leite e derivados lácteos.

*Cerveja e demais bebidas alcoólicas (ver mais abaixo), assim como qualquer coisa com lúpulo. A cerveja contém estrógeno vegetal (fito estrógenos) que inativa a testosterona e por onde reduz a força muscular e favorece ao desenvolvimento das glândulas mamárias e do volume dos quadris, cintura e barriga, especialmente em pessoas sedentárias. A isso há que se adicionar graves transtornos do pâncreas e da vesícula biliar.

*A água de torneira, segundo as zonas (Cataluña é sem lugar a dúvidas a pior zona da Espanha, e Barcelona, de onde há barrios inteiros de onde as autoridades nem sequer aceitam a água como "potável" - coisa que o Barcelonês comum não sabe-, a pior província da Cataluña), mas em geral toda a água "potável" está sob tratamento químico.

*Doces e demais alimentos açucarados, especialmente as "guloseimas", verdadeiro lixo processado.

*Soja e derivados (azeite de sementes de soja, fórmulas alimentícias para bebés a base de soja - uma autêntica burrada - , proteínas hidrolizadas de soja, tofu, etc. A soja tem isoflavonas estrogênicas, que são fortes precursores diretos do hormônio feminino. Bom para as mulheres, mal para os homens
(especialmente hoje em dia). Pesquisar no google "Soy Alert" sacará dezenas de páginas onde se tratam os sérios perigos da soja como produto pro-hormonal.

*Comidas fritas, especialmente se é com azeite de soja, mas em geral qualquer fritura tem um efeito estrogenizante.

*Menta (também conhecida como menta verde): comum em infusões, guloseimas e outras formas, tem um notável efeito anti-androgênico e reduz os níveis de testosterona no sangue.



   É claro que não devemos levar isso ao extremo, mas faz MUITO sentido se observarmos a sociedade de hoje!

7 comentários:

Grandes dicas, muito útil o artigo. PARABÉNS!!

Só faltou postar a fonte do artigo, né? http://legio-victrix.blogspot.com.br/2013/08/estrogenizacao-leite-alcool-e-ions.html

Ovo frito tbm não pode? ou só cozidos e mexidos?

Post revelador agora entendo porque a maioria dos homens estão ficando emasculados hoje por causa principalmente da insdústria alimenticia que tem colocado estrogenos nos alimentos.

Um outro tema que poderia ser tratado e feminização através da moda, uma vez que a maioria dos estilistas são afeminados, por isso os homens em sua maioria estão se vestindo cada vez mais como mulheres, as roupas estão ganhando modelagem, cores femininas. É difícil comprar roupa de homem hoje.

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário para debatermos o assunto...